Você está aqui: Página Inicial Notícias Para usar bem os recursos audiovisuais

Para usar bem os recursos audiovisuais

Reinaldo Polito

- E aí, gostou da apresentação?
- Show, foi muito legal.

- E sobre o que o palestrante falou?
- Cara, sabe, o que me impressionou mesmo foram os recursos audiovisuais. A cada tópico o orador comandava uma espécie de raios que cruzavam o ambiente, acompanhados de sons tão fortes que até balançaram a sala - impressionante. Você precisava estar lá.

- Certo, mas sobre o que exatamente ele falou?
- Bem, na verdade não me liguei muito na mensagem, mas achei bastante interessante.

Esse diálogo não é apenas fruto de fantasia. Cada vez mais surgem exemplos de apresentações que valorizam tanto o visual, que acabam comprometendo a verdadeira razão de ser do evento - a mensagem.

Os recursos visuais são importantes para que os ouvintes compreendam melhor a mensagem e guardem as informações por muito mais tempo.
Quando utilizados de forma apropriada, facilitam a boa ordenação da mensagem e permitem ao orador apresentar as informações em seqüência coerente e destacar os tópicos mais relevantes da exposição.

Alguns estudos mostram que, se transmitirmos a mensagem apenas verbalmente, depois de três dias os ouvintes irão se lembrar apenas de 10% do que falamos. Entretanto, se essa mesma mensagem for apoiada por um recurso visual, no final do mesmo tempo os ouvintes se recordarão de 65% do que comunicamos.

Fica claro, portanto, que o visual é extremamente importante para o sucesso de uma apresentação, mas se não for usado com critério pode fazer mais mal que bem.

Tome cuidado, portanto, para não exagerar. O rápido desenvolvimento dos recursos audiovisuais pode produzir uma perigosa armadilha para os palestrantes afoitos, novidadeiros e desavisados.

Tenho visto pessoas que, durante suas apresentações, usam material de apoio tão sofisticado que dão a impressão de terem sido planejadas para fazer demonstrações de equipamentos e programas de computação gráfica.

Os palestrantes se valem de todos os sons, cores, movimentos e tipos de imagens que conseguem lançar mão. São exposições tão espetaculares que no final fica difícil até lembrar do conteúdo da mensagem.

Quando você consegue se concentrar na seqüência do raciocínio, surge um raio colorido, acompanhado de um som com todos os decibéis disponíveis que desvia o pensamento e dispersa a atenção.

Por isso, atualize-se, acompanhe as novidades, mas seja cauteloso. Lembre-se de que numa apresentação o mais importante é o palestrante, o papel dos visuais deverá ser sempre de apoio.

Observe também que tipo de equipamento irá utilizar, pois a sua imagem profissional poderá começar a ser medida pelo tipo de recurso que lançar mão. Não ficaria bem, por exemplo, um executivo de uma grande empresa fazer a apresentação de um produto, que pretende ser revolucionário, usando um velho retroprojetor como apoio.

Lembre-se sempre de que um visual eficiente deve atender a três objetivos principais:

  • Destacar as informações importantes;
  • Facilitar o acompanhamento do raciocínio;
  • Possibilitar a lembrança do assunto por tempo mais prolongado.

Ao produzir uma apresentação faça sempre essa pergunta: o visual está atendendo a esses três objetivos? Se a resposta for positiva, use-o sem receio. Entretanto, se a resposta para um dos itens não for afirmativa, comece a desconfiar da utilidade dele e prepare-se para meter a tesoura e eliminá-lo.

Você não deverá usar um visual como recurso de apoio se ele servir apenas como ilustração para tornar a exposição mais atraente, se substituir informações que poderiam ser transmitidas verbalmente, se for para ser seguido como simples roteiro ou, o que é pior, se for para imitar outros palestrantes que sempre se apóiam em recursos visuais.

Deixe-o de lado também se o custo e o tempo de preparação não puderem ser justificados pelos resultados pretendidos.

Dez regras básicas para produzir um bom visual:

1. Coloque um título
2. Faça legendas
3. Escreva com letras legíveis
4. Limite a quantidade de tamanhos de letras
5. Crie frases curtas
6. Use poucas linhas
7. Use cores
8. Apresente apenas uma idéia em cada visual
9. Utilize apenas uma ilustração em cada visual
10. Retire tudo o que for dispensável ou incompatível com a mensagem

Para usar bem o visual e manter um bom contato com os ouvintes você poderá obedecer a seguinte seqüência:

- Avise que vai projetar determinada informação
- Projete
- Olhe para tela como indicação para onde os ouvintes deverão olhar
- Comente em uma ou duas frases sobre a importância ou a característica da informação projetada
- Desenvolva a exposição

Observando essa ordem você fará com que o visual seja um ótimo apoio e não irá se escravizar a ele.

SUPERDICAS DA SEMANA

  • Evite números quebrados. Arredonde as cifras para facilitar a visualização
  • Ao preparar o visual prefira escrever 10 mil no lugar de 10.000
  • Use cores contrastantes
  • Apenas três ou quatro cores podem ser suficientes
  • Ponha um título em cada visual e use legendas

 
Para ver outras dicas, entre no meu site

Site: www.reinaldopolito.com.br

Livros de minha autoria que tratam desse tema: "Recursos audiovisuais nas apresentações de sucesso", "Como falar corretamente e sem inibições", "Oratória para advogados e estudantes de direito" e "Superdicas para falar bem" (também em audiolivro gravado por mim), publicados pela Editora Saraiva
 

Ações do documento
Boletim do Portal do Desenvolvimento
Boletim do Portal do Desenvolvimento
IV CONGRESSO BRASILEIRO
IV CONGRESSO BRASILEIRO